ArtigoNotíciaPublicação

Carta de Compromisso do Curso de Verão 2020 do Ceseep

Tema: Espiritualidade na Cidade: por uma dimensão libertadora

Já é uma tradição do Curso de Verão que um painel reflita no palco do Teatro da Universidade Católica de São Paulo uma síntese, por meio da arte, do conteúdo vivenciado durante o Curso. Neste ano, como em vários anteriores, o artista que fez o painel é  Anderson Augusto.

Carta de Compromisso do Curso de Verão 2020

Interpelados pela dura realidade dos mais pobres e movidos por testemunhos proféticos e comoventes, acerca das espiritualidades na cidade, trazidos pelos assessores/as e por participantes nas tendas, assumimos compromissos em relação:

  1. À REALIDADE ECONÔMICO-SOCIAL, ÀS MÍDIAS E À PARTICIPAÇÃO POPULAR
  • Repensar a realidade em conjunto; escutar com sensibilidade e simpatia o clamor das pessoas em situação de exclusão nas periferias reais e existenciais; assumir suas causas, mesmo tendo dúvidas, e fortalecer a luta popular, no combate às desigualdades.
  • Conhecer as raízes da crise brasileira e mundial a partir da leitura do modelo econômico vigente.
  • Comprometer-se com a partilha dos bens materiais e com seu consumo consciente e sóbrio, em busca de maior igualdade e justiça social.
  • Promover a reflexão acerca da consciência de classe, do consumismo, da propaganda comercial e ideológica, da influência da mídia e da importância da participação popular.
  • Promover nas comunidades a prática da análise de conjuntura, a partir do enfoque da realidade sofrida das grandes maiorias e de um olhar atento às minorias e às suas demandas.
  • Buscar a informação em mídias confiáveis; produzir e espalhar apenas conteúdos verdadeiros, com responsabilidade ética em relação à informação e educar-se para um exame crítico do que é veiculado nas redes sociais.
  • Democratizar a comunicação e valorizar as mídias alternativas para uma leitura crítica no mundo da informação.
  • Garantir espaços coletivos de escuta que gerem uma articulação comunitária em vista de projetos sociais voltados para pessoas mais vulneráveis.
  • Estar atentos para a construção das alianças e parcerias nas próximas eleições.
  • Manter o diálogo com todos e cultivar sementes do pensamento crítico.
  1. À ESPIRITUALIDADE MILITANTE E ESPERANÇADORA
  • Assumir o Pacto das Catacumbas pelo cuidado da Casa Comum na busca por uma convivência ecológica integral, com a natureza e os demais humanos.
  • Trabalhar com as novas lideranças para se alcançar um olhar mais amplo da realidade social e do campo religioso e para acolher a rica diversidade de pertenças religiosas e de caminhos espirituais.
  • Cultivar, numa atitude de respeito para com a diversidade, a escuta atenta da realidade e das pessoas, sabendo que tudo está interligado.
  • Aproximar-se uns dos outros, dialogando mais com a sociedade e levar para as pessoas do nosso convívio a experiência de que é possível quebrar paradigmas frutos de preconceitos, discriminação e exclusão e manter viva a esperança.
  • Desenvolver o diálogo ecumênico e interreligioso e lutar pela causa do Bem Comum e do Bem-Viver.
  • Caminhar para uma mística libertadora, sustentável e perseverante, identificando as belezas que existem para além de nossas comunidades, construindo pontes e unindo linguagens.
  • Organizar redes de assessoria para movimentos populares, no campo da espiritualidade e da militância.
  • Através da noite escura da fé, manter a confiança no Amado, em solidariedade com todos que trilham esse caminho.
  • Sair da nossa zona de conforto para abraçar a espiritualidade de Jesus: ecumênica, samaritana e Madalena.

Encerramos nossa jornada, dando graças pelo caminho percorrido, com os olhos já voltados para o 34º. Curso de Verão, de 07 a 15 de janeiro de 2021, com o tema, CUIDAR DA CASA COMUM: POR UMA CIDADE SUSTENTÁVEL.

 

Tags
Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Close
Close
Close